Feriado na Suécia

0 people like this post.

Oi gente!

Esses últimos dias eu não tive aula por conta de diversos motivos diferentes (época de re-exame, feriados, e mais feriados…). Porém, infelizmente, esse feriado não consegui fazer viagens longas porque tinha muito a estudar… Mas não dava pra ficar duas semanas só estudando né??! Por isso decidi alugar um carro, e acabei indo para uma reserva da natureza chamada Ekopark Omberg, e devo dizer que superou todas minhas expectativas! Esse Ekopark é a uma hora de carro de Linköping e aconselho a adicionar a sua lista de lugares para ir.

Minha primeira parada foi nas ruínas de um antigo monastério. O legal é que tem paquinhas explicando tudo que você vê, muito bem organizado.

Ruínas de um Monastério. Crédito : Henrik Forsberg

Depois fui fazer as trilhas do parque. Andei MUITO! Segundo meu aplicativo do Iphone, eu andei 14.2 km, subi o equivalente a 86 andares e tive 23.120 passos. Mas compensa muito muito muito! (ps1. vide fotos abaixo) ( ps2. E se você for preguiçoso, dá pra andar menos e fazer mais partes de carro).

Surreal demais né?

Minha vista do almoço…

A temperatura da água tava um pouco gelada, mas ainda assim tinham pessoas mergulhando. Fiquei bastante triste por ter esquecido o biquini, então se tiverem indo na primavera/verão….não esqueçam!!

Espero encontra-los em agosto,

Duda

6 situações que os suecos encaram muito diferente dos brasileiros

0 people like this post.

Morar em outro país é se deparar diariamente com uma situação fora do que você tá habituado. São coisas pequenas, que a gente nem percebe que faz quando está no nosso país, mas é só chegar no exterior que percebemos alguns traços marcantes da convivência, de como as pessoas se comportaram e se organizam. Tudo isso fala também sobre a cultura de um lugar, e mesmo que não sejam fatores que vão mudar muito a sua vida uma vez aqui, entender essas diferenças é importante e, mais que isso, necessário.

Depois de um tempo, sem nem perceber mais, você já tá agindo igual todos a sua volta, esse é o tamanho da influência do ambiente na nossa forma de agir. Eu sempre sempre me sinto um pouco mais sueca quando percebo o quanto já me acostumei com algumas situações que para um brasileiro podem ser bem diferentes. Pensando nisso fiz essa listinha com 6 aspectos/situações/costumes Suecos que você vai estranhar num primeiro contato e por isso é legal já ficar esperto. Mas liga não, tudo é questão de hábito.

1- Fila do supermercado

Talvez não fosse a primeira coisa que você ia pensar, mas a fila pra passar no caixa do supermercado aqui é bem diferente. No Brasil é aquele caos, demora, ninguém tá muito atento pra o que tá fazendo. Na Suécia, não. O caixa vai bem rápido. As pessoas já vão colocando as compras na esteira e tem uma plaquinha que você usa pra indicar que a sua compra termina ali. Do outro lado tem duas divisórias assim duas pessoas podem embalar as compras ao mesmo tempo. Ou seja, processo é rápido e você precisa estar atento, não dá pra ficar viajando.

 

2- Esperando o busão

Uma coisa sobre os suecos é que eles prezam por seu espaço pessoal. São muito educados, mas bem reservados. Isso é possível observar também no ponto de ônibus, enquanto esperam, as pessoas ficam dispostas em fila com mais ou menos 2 metros de distância entre cada um. Nada parecido com o Brasil, né?

3- Andando de bicicleta

Vindo de São Paulo, a bicicleta pra mim até mais do que um meio de transporte, é uma atividade de lazer. Aqui em Linköping é principalmente um meio de transporte, tanto que debaixo de neve e temperaturas pra lá de negativas, você vai ver as pessoas indo pra algum lugar à pedaladas, e inclusive carregando seus filhos junto.

4- Comprando uns bons drinks

Tem coisa que a gente só da valor quando perde. Não é que aqui não tem bebida alcoólica, mas o acesso é bem mais controlado que no Brasil, sendo a venda feita apenas em lojas específicas para isso, chamadas Systembolaget. A questão é ela não fica aberta 24h, inclusive fechando mais cedo de sábado e bem abrindo no domingo. Ou seja, precisa de planejamento, coisa que a gente não tá lá muito acostumado no Brasil.

 

5- Chegando no rolê

No Brasil a gente não precisa de muita desculpa pra abraçar, beijar e demonstra afeto. Quem já não chegou numa festa e teve que dar beijinho em 20 desconhecidos? Na Suécia, por outro lado, as pessoas geralmente falam oi com um aceno ou aperto de mão tímido. Outro coisa que talvez seja o maior choque cultural de todos é a pontualidade. Para os suecos, 1min depois do horário marcado já é atrasado, e eu não estou exagerando. Enquanto para nós 15 min nem contam, pra eles é fora de cogitação.

6- Reciclando garrafas/latas

A reciclagem na Suécia já é uma prática bem estabelecida, de forma que 99% do lixo aqui é reaproveitado. Um sistema deles que eu acho bem legal e que me impressionou quando eu cheguei são as máquinas que recolhem garrafas pet e latinhas. Elas ficam na frente do supermercado, você vai inserindo uma por uma e recebe dinheiro em troca na forma de um vale pra usar no supermercado. A melhor parte é que cada latinha vale uns 40 centavos!! Garrafa pet vale uma fortuna. Reciclagem realmente compensa na Suécia.

 

Emergência na Suécia

1 people like this post.

Primavera chegando, clima esquentando, flores aparecendo….Parece um sonho né?

Eu discordo. Polén é um dos meus maiores inimigos 😅 E foi isso que semana passada aconteceu comigo…. Comecei com uma alergia e fui logo tomando meu Allegra D que trouxe do Brasil. E liguei para o 1177 para receber mais dicas do que fazer caso precisasse de remédio daqui (já que o que eu trouxe do Brasil estava quase acabando).

Se você ainda não sabe o que é o 1177 eu recomendo ler esse post que a Marcela escreveu sobre o que fazer se precisar ir no médico na Suécia.

Até ai eu achava que o pior já tinha acontecido, e que eu melhoraria rápido. O problema foi que eu esqueci de tomar meu remédio diário para proteção do estômago, e ja comecei a sentir uma dor muito forte logo após tomar o Allegra. E depois veio a febre. Como a dor era muita, resolvi ligar para o 1177, e a enfermeira, muito solicita, informou que já que eu estava com febre e dor no estômago eu deveria ir na emergência.

Morrendo de dor e com medo do que essa visita na emergência ia me custar, eu me dirigi ao hospital. E para minha surpresa? Eu não precisei nem abrir minha carteira! Tudo isso porque tenho o personal number (CPF sueco).

Cheguei no hospital, peguei uma ficha (suecos AMAM filas), fui chamada no mesmo minuto (era bem tarde, mais ou menos onze da noite). A enfermeira perguntou se eu tinha personnummer, pegou meus dados, me deu uma pulseira e me pediu para aguardar até ser chamada. Após dez minutos, uma outra enfermeira me chamou para uma sala de atendimento, fez um Eletrocardiograma, tirou sangue (aqui eles tiram sangue furando seu dedo), fez todas as perguntas necessárias e saiu para consultar o médico. Voltou com remédios e pediu para aguardar até os resultados dos exames ficarem prontos.

Os resultados dos exames saíram, ela me avisou que foram muito bons e que eu poderia ir para casa. Mas o que achei engraçado foi que ela ME perguntou se eu estava ok com isso! Ou se eu preferia ficar no hospital por conta da dor. Como os remédios ja haviam feito efeito, eu preferi ir para casa e assim saí do hospital sem nem abrir minha carteira!

No fim das contas, achei todo tratamento médico sueco muito bom! (Claro que se eu não tivesse direito ao CPF sueco a conta seria altíssima, e provavelmente eu mudaria esse meu conceito).

Até a próxima!

Duda

 

Um fim de semana de “descanso”

1 people like this post.

Oi gente!

Quando pensamos em Europa, pensamos logo em Eurotrip né? Pelo menos eu adolescente era assim haha

Depois que vir estudar aqui já conheci: Espanha (🇪🇸), Finlândia (🇫🇮), Estônia (🇪🇪), Letônia (🇱🇻), Portugal(🇵🇹), e esse fim de semana foi a vez da Noruega (🇳🇴)! Aproveitei uma semana em que todo mundo estava em prova (menos eu porque todas minhas matérias foram apenas trabalhos) e viajei.  Adivinhem quanto paguei de Linköping até Oslo? SEK 120 ida e volta!😱 Isso mesmo, você não esta lendo errado, foram 60 reais para ida e volta. Uma promoção maravilhosa que eu achei.


Agora vamos ao que eu fiz de mais diferente em Oslo, devo até admitir que foi um pouco de loucura minha.😅

Nordmarka, em Oslo, tem várias opções de trilhas. Durante o inverno, também existe pistas de Ski por lá. Vi varias fotos na internet, achei o lugar lindo, maravilhoso, queria ir! As temperaturas estavam positivas (em torno de cinco graus), o dia estava de sol ☀️ e não havia neve no chão em Oslo. Uma trilha parece uma ótima ideia, não?

Peguei um trem até lá, e a vista ja do trem é de deixar qualquer um babando. Várias pessoas no trem com ski, e eu pensando: “nossa, será que ainda tem neve lá?” 😂 E né que tinha? 😂😂

Fiz 10 km de trilha, sendo um pouco mais da metade com neve até o joelho, no meio da mata, seguindo marcações azuis que nem sempre eram fáceis de enxergar. Em alguns lugares, a neve chegou a bater na minha cintura! Graças a ótima companhia, mapa no celular, e fika devidamente preparados, tudo ocorreu bem! Claro que se pudesse teria vestido uma calça mais apropriada, um gorro, uma luva a prova d’agua… mas né? achava que não ia ter TANTA neve ❄️🏔

Parte da trilha, neve na altura do joelho como podem ver. Credits: Henrik Forsberg

Será que tava frio? Credits: Henrik Forsberg


Próxima semana irei a Dinamarca (🇩🇰), prometo não me meter no meio da neve! haha

Até a próxima,

Duda

3 razões porque eu acho melhor cidade “pequena”

1 people like this post.

Apesar de Linköping não ser considerada cidade “pequena” nos padrões suecos, para os padrões brasileiros uma cidade de 106 mil habitantes (segundo o censo de 2016) é pequena. “Por quê tu escolheu uma universidade em uma cidade pequena?Por quê não Estocolmo?”, duas perguntas que escutei bastante quando contei a amigos/familia que estava me mudando. Sinto que depois de mais de seis meses morando aqui, posso responder essas perguntas MUITO melhor!

Aqui vai três razões que me fazem preferir Linköping a Estocolmo (vale lembrar que estarei comparando apenas as cidades):

1.Aluguel

Quando fui visitar uma amiga em Estocolmo, me impressionei com o valor do aluguel dela ($$). O valor chegava a ser quase o dobro do que eu pago, para mais ou menos as mesmas condições! Além disso, por ser uma cidade grande, a dificuldade de conseguir um lugar pra alugar é muito maior que aqui em Linköping! Nesse dia percebi o quão grata eu era de ter escolhido uma cidade menor.

O bairro que moro aqui em Linköping

2.Bicicletas

Quando essa mesma amiga me disse que após seis meses morando na Suécia, ainda não andou de bike eu fiquei assim:😱😱 Conversando com mais estudantes que moram em Estocolmo, TODOS vão para a faculdade de ônibus/metro… e demoram até horas para chegar dependendo de onde moram! Eu sei, eu sei…parecido com a maior parte das cidades brasileiras, com a possível diferença de tudo ter hora certinha (😅).

Meu problema é que agora estou acostumada a com cinco minutos de bike ja estar na universidade. Com 10 minutos… no centro da cidade e assim vai! Tem coisa melhor?! 🚴🏻‍♀️

Acreditem ou não, não chega a um terço das bikes na universidade.

3. Cidade Estudantil

Festas organizadas em cooperação com a faculdade, corridor party (quando um grupo de estudantes que moram no mesmo corredor organizam uma festa para todos), bares… Opção para sair não falta, e é certo que você conhecerá muitos outros estudantes ao participar desses eventos. Existem várias organizações estudantis que organizam as festas, trilhas, passeios, noite de jogo de tabuleiro… tudo que você imaginar!

Claro que Estocolmo oferece muito mais opções de saída, mas em Linköping é certeza que você conhecerá mais estudantes (e possivelmente fazer amizades mais fácil) onde quer que vá…

 

Eu amo o estilo de vida desse cidade e não a trocaria por outra. Claro que de vez em quando sinto saudade de uma cidade grande, e nesses momentos pego um trem pra Estocolmo ou Copenhagen. Diversão garantida para um fim de semana e ainda serve para me lembrar de todas as razões pela qual amo a minha cidade pequena de novo.

Até a próxima!

Duda